FacebookTwitterYoutube

    Gruta de Lascaux: um tesouro inestimável

    <?xml:namespace prefix = v /><?xml:namespace prefix = o />Gruta de Lascaux

    Há 70 anos quatro jovens trazem à luz do dia uma das maiores maravilhas paleolíticas do mundo: a Gruta de Lascaux e as pinturas rupestres que datam de cerca de 17.000 anos. Os cientistas a chamaram de "Capela Sistina da arte rupestre" e compreende-se o porquê quando observamos a primeira parte da gruta,  a salle des Taureaux (sala dos touros).

    Unicórnio: animal imaginário?

    A salle des Taureaux (sala dos touros) abriga cerca de 130 figuras dentre as quais este famoso  unicórnio. Localizada na entrada da Rotonde, ela parece empurrar os outros animais da parede para o fundo da galeria.  Atualmente, nenhuma explicação satisfatória foi dada para essa figura.

    Gruta de Lascaux

    O segundo touro-bisão vermelho

    Gruta de Lascaux

    Esta representação mede 3,5 metros. Os detalhes anatômicos são extremamente bem preservados: os chifres, os órgãos genitais... Os contornos superiores foram traçados com um pinceu, enquanto que os de baixo foram criados por pulverização de pigmentos.

    O primeiro cavalo vermelho

    Esta imagem se localiza sobre o painel vermelho do divertículo axial e por boas razões, um bom número de representações estão lá na cor vermelha. Este cavalo apresentado acima foi pintado por pulverização de pigmento como qualquer outro de seu painel, mas ele se difere no nível da qualidade de sua forma.

    Gruta de Lascaux

    O primeiro grande touro

    Este touro mede aproximadamente 3 m de altura e 3,5 m de comprimento. A cabeça está rodeada por muitos cavalos e veados,  o que certamente explica porque o animal não foi representado por inteiro. Esta pintura se difere dos outros touros pelo destaque da cernelha, mas também pelos chifres vermelhos.

    Gruta de Lascaux

    O veado preto

    Gruta de Lascaux

    Os cientistas acreditam que este magnífico veado da parede direita está gritando. As duas pistas que levam a tal hipótese estão à disposição por trás da madeira e a presença de uma nuvem vermelha ao redor da boca sugerem um suspiro.


    Localizada na Dordogne, região sudoeste da França, próxima à pequena cidade de Montignac-sur-Vézère, a gruta atrai pesquisadores e turistas do mundo, no entanto, as visitas estão fechadas ao publico desde 1963 quando foram constatadas algas verdes se alastrando pela gruta. Mas felizmente, desde 1983, ainda é possível “conhecer” a gruta: Lascaux II. Uma réplica idêntica de Lascaux, Lascaux II está localizada a poucos metros da gruta original, recebendo 220.000 visitante todos os anos para vislumbrar este maravilha paleolítica assim como as demais grutas e museus que retratam os períodos.

    E para desfrutarem de um pequeno parecer da Gruta de Lascaux, conhece a gruta em sua totalidade através de um tour virtual: www.lascaux.culture.fr

     

    Mais informações
    Para conhecer Lascaux II, informações sobre tarifas para visita, hospedagem e demais atividades acesse: www.semitour.com